quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Concurso "Faça lá um poema"

No passado dia 17 de Janeiro, pelas 10:55h, alguns dos alunos do 5.ºE deslocaram-se à biblioteca a fim de paticiparem no concurso, "Faça lá um poema", no âmbito do projecto Ler+.

Alunos participantes:
Ana Martinho
Beatriz Gonçalves
Iara
Luís Alves
Marco Alves
Maria João
Nuno Lopes


O planeta que construímos

Vamos construir um planeta
Um planeta verde
Cheio de plantas
Lindas como o sol.

Um planeta cheio de animais
Com os pássaros a cantar
Os patos a grasnar
E os leões a rosnar.

Um planeta azul
Cheio de vida
Cheio de mares e oceanos
Para a água nunca faltar.

Chegou o dia conseguimos
Construir este planeta lindo
Cheio de vida
Graças a mim e a ti.

É um planeta belo
Só há um problema
A poluição que teremos de destruir.
Já tentamos muitas coisas
Quase nada funcionou
Mas sabemos que um dia
Iremos conseguir.

Luís – 5.º E



O planeta que construímos

O nosso mundo
É conforme nós o queremos
Neste momento está acordado
Mas como será daqui a um bocado?

Estará melhor ou pior?
Se continuarmos a poluir
Será melhor?
Será assim no futuro?

O nosso mundo é
Como um bebé
Precisa de atenção
Protecção
E dizer não
À poluição.

Beatriz - 5.º E

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Os 3 Reis Magos


Num país distante viviam três homens sábios que estudavam as estrelas e o céu. Um dia viram uma nova estrela muito mais brilhante que as restantes, e souberam que algo tinha acontecido. Perceberam que nascera um novo rei e foram até ele.
Os três reis magos, Gaspar, Melchior e Baltazar, levavam presentes e seguiam a estrela que os guiava, até que chegaram à cidade de Jerusalém. Aí perguntaram pelo Rei dos Judeus, pois tinham visto a estrela no céu.
Quando o Rei Herodes soube que estrangeiros procuravam a criança, ficou zangado e com medo. Os romanos tinham-no feito rei a ele, e agora diziam-lhe que outro rei, mais poderoso, tinha nascido?
Então, Herodes reuniu-se com os três reis magos e pediu-lhe para lhe dizerem quando encontrassem essa criança, para ele também a ir adorar.
Os reis magos concordaram e partiram, seguindo de novo a estrela, até que ela parou e eles souberam que o Rei estava ali.
Ao verem Jesus ajoelharam e ofereceram-lhe o que tinham trazido: ouro, incenso e mirra. Em seguida, partiram.

À noite quando pararam para dormir, os três reis magos tiveram um sonho. Apareceu-lhes um anjo que os avisou que o rei Herodes planeava matar Jesus.
De manhã, carregaram os camelos e já não foram até Jerusalém: regressaram à sua terra por outro caminho.
José também teve um sonho. Um anjo disse-lhe que Jesus corria perigo e que ele devia levar Maria e a criança para o Egipto, onde estariam em segurança. José acordou Maria, repararam tudo e partiram ainda de noite.
Quando Herodes soube que fora enganado pelos reis magos, ficou furioso. Tinha medo que este novo rei lhe tomasse o trono.
Então, ordenou aos soldados para irem a Belém e matarem todos os meninos com menos de dois anos. Eles assim fizeram.
As pessoas não gostavam de Herodes, e ficaram a odiá-lo ainda mais.
Maria e José chegaram bem ao Egipto, onde viveram sem problemas.
Então, tempos depois, José teve outro sonho: um anjo disse-lhe que Herodes morrera e que agora era altura de regressar com a falília a Nazaré, à sua casa.
Depois de uma longa viagem de regresso, eles chegaram enfim ao seu lar.

Dia de Reis

Para assinalar o Dia de Reis os alunos do 5.ºJ e do 5.ºE fizeram algumas pesquisas recorrendo a várias fontes, destacando-se a Internet, os livros e a sabedoria dos avós. O resultado dos trabalhos foi apresentado nas turmas, dando lugar a uma aula de leitura de poemas e textos alusivos e de entoação de canções.

Nós somos três Reis
Que vimos do Oriente
Trazer as Boas Festas
Com paz p`ra toda a gente.

Nós somos três Reis
Guiados por uma luz
Adorar o Deus Menino
Que se chama Jesus.


Boas Festas, Boas Festas
Boas Festas, vimos dar
Para todas as pessoas
Que estão dentro deste lar.

Se nos querem dar os Reis
Não se esteja a demorar
Somos da escola Nadir Afonso
Temos caminho para andar.

Diana - 5.ºJ

Nós vimos cantar os Reis
Sem livros e sem sacola
Tudo o que nos quiser dar
Será para a nossa escola.

Nós vimos cantar os Reis
Não é para ganhar dinheiro
É para ficar a lembrar
O dia 6 de Janeiro.

Cantamos os Reis
E voltamos a cantar
Neste dia de alegria
Espero que não se vá queixar.

Nélson - 5.ºJ

Aqui estamos à porta
Dispostos para cantar
Se os senhores nos dão licença
Nós os vamos começar

Ó meu Menino Jesus
Sempre por nós pedireis
Que diga aqueles Senhores
Que nos venham dar os Reis.

Tragam as bandejas cheias
Que nós tudo aceitamos
A esmola que nos derem
A Nossa Senhora a damos.

Que as deis que as não deis
Sempre com Jesus fiqueis
Se as dais ou não dais
Sempre com Jesus ficais.

5.º E

Carta ao Pai Natal

Chaves, 10 de Dezembro de 2010



Querido Pai Natal:

Antes de mais queria desejar-te um Próspero e Feliz Natal!
Em segundo lugar quero pedir-te que na próxima noite de Natal neve, para eu poder brincar. Já há tanto tempo que não vejo tudo coberto de branco! Também queria que todos os mendigos tivessem uma casa para viver e uma vida como a minha. E que haja paz mundial!
Claro, como todas as crianças também tenho alguns bens materiais para te pedir. Como o jogo da Nintendo DS do "Pokémon Ranger Guardian Signs", o filme do "Toy Story 3 e por agora é tudo. Eu vou-te mandando cartas a dizer o que quero mais!

Adeus! Mais uma vez desejo-te um Feliz Natal e um Bom Ano Novo, a ti e a todas as pessoas que vivem neste mundo.

Marco

P.S. Dá beijos meus aos teus duendes e também à Mãe Natal. Desculpa ter riscado tanto a folha.
Marco 5.º E

domingo, 2 de janeiro de 2011

Feliz Natal

Para comemorar o Natal os alunos do 5.ºJ e do 5.ºE entoaram a canção:"Broas de Mel".

Broas de Mel

Refrão:
Broas de mel
Já caem do céu
Não temos tempo a perder
Amanhã é Natal
e nós ah, ah ah ah
Nós temos tudo por fazer.

O pinheiro ideal,
vamos ter de encontrar
Para o enfeitarmos então
Nem pequeno nem grande
tem de ser elegante
para fazermos um figurão.

Refrão

Ding dong Ding dong
É Natal
Ouço sinos pelo ar
Ding dong Ding dong
É Natal
Não me posso atrasar
Ding dong Ding dong (2x)

Refrão



video



Dia de Natal

Hoje é dia de Natal
Mas o menino Jesus
Nem sequer tem uma cama,
Dorme na palha onde o pus.

Recebi cinco brinquedos
Mais um casaco comprido.
Pobre menino Jesus,
Faz anos e está despido.

Comi bacalhau e bolos,
Peru, pinhões e pudim.
Só ele não comeu nada
Do que me deram a mim.

Os reis de longe trazem
Tesouros,incenso e mirra.
Se me dessem tais presentes,
Eu cá fazia uma birra.

Às escondidas de todos
Vou pegar-lhe pela mão
E sentá-lo no meu colo
Para ver televisão.

Luísa Ducla Soares

Dia do Patrono

A turma do 5.ºJ apresentou no Dia da Escola o poema: "Os Postais" da autoria do professor Fernando Azevedo.

Os Postais

Ser bombeiro é uma riqueza.
É defender a Natureza
dos incêndios e outros perigos.
É não dormir descansado,
dia e noite estar ao lado
dos nossos melhores amigos.
Sou o Artur.

Sou o Bruno.
Se me levanto bem disposto
de ir para a escola até gosto
e quero vir a ser um dia:
em altas velocidades dar nas vistas,
correr em carros de corridas,
sentir as palmas, os gritos, alegria.

Atenção caras amigas,
comigo sereis defendidas
vou dar-vos uma boa notícia:
nas ruas ou na cidade
de todas terei piedade,
pois, no futuro, quero ser polícia.
Sou a Daniela.

Sou alta. Sou calma. Sou morena.
Sinto, em mim, pena
quando vejo alguém chorar.
De futuro quero ser bombeira,
na frente, sempre a primeira
para os fogos apagar.
Sou a Diana.

Não sou gorda, nem pensar.
Dia a dia quero melhorar
e, da turma, quero ser a primeira.
De futuro quero aprender,
na vida quero vencer.
Sou a Lurdes
e quero ser cabeleireira.

Sou um menino arrebitado.
De manhã sinto.me cansado
e, da turma, gostaria de ser o primeiro.
E no futuro?
Correr de um lado para o outro,
apagar um incêndio aqui, além outro.
Sou o Nélson
e gostaria de ser bombeiro.

Sou alegre. Por vezes até me
esqueço
Que ao 5.ºJ pertenço
e faço-me de artista.
Se quero, sou bom rapaz
e acho que até serei capaz
de vir a ser motorista.
Sou o Rodrigo.

Sou calma. Respeito os colegas e os
professores
pois sei que são os melhores
amigos que podemos ter.
De TIC, quero ser professora
e prometo que, desde e agora,
vou dar o meu melhor para vencer.
Sou a Sabrina.

Sou calmo e gosto de estar atento,
os professores me dão alento,
animam-me, sim senhor.
Sou cigano, mas não sou diferente.
No futuro, penso todo contente,
Quero ser um grande professor.
Sou o Valdemar.

É com enorme alegria
que queremos neste dia
ao nosso Patrono e à nossa Escola
desejar:
um lindo dia de festa,
e riquezas como esta,
fiquem a eternizar.

Lenda de S. Martinho

Como forma de se assinalar o dia de S. Martinho, na turma do 5.ºJ foi lida a lenda, acompanhada de um PowerPoint alusivo.

video

Era uma vez um menino chamado Martinho. O seu pai era general e trinava os solados do Imperador. Um dia, o Imperador ordenou que o pai de martinho se transferisse para Pavia, em Itália. Uma tarde, já em Pavia, enquanto martinho lançava o peao, rebentou uma trovoada. Martinho assustou-se tanto que correu a refugiar-se numa Igreja! Lá dentro estava um bispo a contar histórias de Jesus e dos Apóstolos. Foi nessa altura que Martinho se começou a interessar e a aprender o catecismo. Ele e os amigos estavam tão entusiasmados, que decidiram viver da mesma maneira que viviam os santos que conheciam das histórias. Alimentaam-se apenas de raízes e de frutos, mas acontece que, um dia, comeram cogumelos venenosos e adoeceram gravemente... Quem lhes valeu foi o bispo, que por ali ia a passar e lhes trouxe leite, que os salvou do terrível veneno... Martinho resolveu voltar para casa. O pai disse-lhe: - És alto e forte. Acho que já podes ser soldado! Nesse dia, pai e filho foram ao palácio do Imperador. Martinho recebeu a espada, uma capa e a ordem para ir lutar para França. O pai explicou-lhe que metade da capa não lhe pertencia: seria sempre do Imperador e ele devia usá-la para se lembrar que estava ao serviço do Império. Uma tarde, ia Martinho a caminho da cidade de Amiens, quando rebentou uma grande tempestade. O vento soprava frio e Martinho aconchegou-se melhor dentro da sua capa quentinha... Estava já às portas da cidade, quando viu, à beira da estrada, um homem a pedir esmola, cheio de frio. Martinho parou imediatamente o cavalo. Procurou algumas moedas no bolso, mas nada encontrou... Então teve uma ideia: - Vou dar-lhe metade da minha capa de soldado! (Martinho não podia dar-lhe a outra metade, pois pertencia ao Imperador.) Sem hesitar, pegou na espada, rasgou a capa em duas partes iguais e entregou uma metade ao homem. E, nesse momento, aconteceu um milagre... Para que nenhum dos homens passasse mais frio, as nuvens desapareceram e o sol brilhou com toda a força. É por isso que ainda hoje, quando faz sol em Novembro, dizemos que é o Verão de S. Martinho! Martinho era um homem tão bom, que se tornou santo. Hoje todos o conhecemos: no seu dia, 11 de Novembro, é costume fazer-se uma festa, onde se partilham castanhas em sua homenagem - o Magusto.

Reciclar Leituras

A turma do 5.ºJ uniu-se na recolha de revistas usadas para serem entregues na biblioteca.



Dia Mundial da Alimentação

A turma do 5.ºJ levou a cabo uma pesquisa sobre o Dia Mundial da Alimentação. Estes são alguns dos trabalhos que foram entregues na biblioteca.

Provérbios

Deus dá nozes a quem não tem dentes.
Em casa onde não há pão todos ralham e nínguém tem razão.
Quem não trabuca não manduca.
Guarda para comer não guardes o que fazer.
Diz-me o que comes, dir-te-ei quem és.
Grão a grão enche a galinha o papo.
Pela boca morre o peixe.
Não se vive para comer, vive-se para viver.
Contra a fome nao há ruim pão.
A fome é má conselheira.
O tomate é meio cozinheiro.
Ter mais olhos que barriga.
Quem não come por já ter comido não tem doença de perigo.
Cada boca sua sopa.
Peixe não puxa carroça.
Quem dá o pão dá educação.
Mais vale pão duro do que figo maduro.
O primeiro milho é para os pardais.
Quem come salgado, bebe dobrado.
Conforme comermos, assim seremos.
Guarda que comer, não guardes que fazer.
Batata e pão juntos dão má digestão.
Água e pão de corrida se vão.

Poemas

Garfo e Faca preparados
Para dar as boas vindas
Ao peixe, à carne e aos legumes
E a todas as frutas lindas.

Têm já lugar marcado
No teu prato, à tua mesa
Todo o tipo de alimentos
Desde a sopa à sobremesa.

Comer tudo é essencial
Se queres pensar e brincar
Para não te faltar energia
Eo teu corpo funcionar.

Variedade é comer de tudo
É este o primeiro segredo:
Mudar e experimentar
Quem descobriu... levante o dedo!


Da roda dos alimentos
De tudo devo comer!
E antes da refeição,
Boa água vou beber.

Gosto muito de legumes,
De arroz, massa e feijão.
Das gorduras e do açúcar,
Não abuso, isso não!

Eu como frutos maduros,
Leite, carne, peixe e pão.
Como bem, não como muito,
Vario a alimentação.



Só pode ser elegante
Quem come para viver;
Fica feio, barrigudo,
Quem vive para comer.

Comecemos a escolher
Alimentos que convém
Pois comer em demasia
Não quer dizer comer bem.

Não queiras ser comilão
E terás melhor saúde
A gula é grande pecado
Comer bem é uma virtude.

Poema "Ser Estudante"

Ser estudante é
Ser criativo,
buscar o infinito,
e estar feliz com isso.

Ser estudante
é pensar o futuro,
tranformar o mundo.

Ser estudante é
ter alegria,
ficar de bem com a vida,
trabalhar em harmonia.

Enfim, ser estudante é
viver em paz,
buscando o algo mais,
sem medo de errar,
tentando melhorar.